NOSSA RÁDIO ESTÁ FASE BETA, NO MOMENTO SÓ 5 CANTORES, MAS VAMOS INSERIR MILHARS, SE DESEJA UM PLAYER PARA SEU SITE, FALE COMIGO!

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Enquete
O que achou do portal?
Ótimo!
Excelente!
Bom!
Rui!
Regular!
Incrível!
Espetacular!
Péssimo!
Ver Resultados

Rating: 2.6/5 (187 votos)

ONLINE
1

Sobre a Remi


Guiné Equatorial

Guiné Equatorial, exemplo perfeito da chamada "maldição do petróleo" | GZH

Coordenadas: 2° N, 10° W

República de Guinea Ecuatorial (espanhol)
République de Guinée équatoriale (francês)

República da Guiné Equatorial (português)
Bandeira da Guiné Equatorial
Brasão de armas da Guiné Equatorial
Bandeira Brasão de armas
Lema: "Unidad, Paz, Justicia" (es)
"Unité, Paix, Justice" (fr)
"Unidade, Paz, Justiça" (pt)
Hino nacional: "Caminemos Pisando la Senda de Nuestra Inmensa Felicidad "(es)
"Marchons en foulant le chemin de notre immense joie"(fr)
"Caminhemos sob a trilha de nossa imensa felicidade"(pt)
Menu
0:00
Gentílico: guineense, guinéu-equatoriano(a),[1] equato-guineense[2]

Localização de República da Guiné Equatorial
Capital Malabo
3° 21' N 8° 40' E
Cidade mais populosa Bata
Língua oficial Espanhol (língua nacional), francês e português[3]
Governo República semipresidencialista
 - Presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo
 - Primeiro-ministro Francisco Pascual Obama Asue
 - Vice-presidente Teodoro Nguema Obiang Mangue
Independência  
 - da Espanha Franquista 12 de outubro de 1968 
Área  
 - Total 28 051 km² (141.º)
 - Água (%) <0,1
 Fronteira Camarões (N), Gabão (E, S)
População  
 - Estimativa para 2016 1 221 490[4] hab. 
 - Censo 2015 1 222 442[5] hab. (159.º)
 - Densidade 43,57 hab./km² 
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ : 15,537 bilhões (124.º)
 - Per capita US$ : 12 895 (58.º)
IDH (2019) 0,592 (145.º) – médio[6]
Moeda Franco CFA (XAF)
Fuso horário (UTC+1)
 - Verão (DST) não observado (UTC+1)
Clima Tropical
Org. internacionais ONU, UA, ZPCAS, Francofonia, CPLP
Cód. ISO GNQ
Cód. Internet .gq
Cód. telef. +240
Website governamental [1]

Mapa de República da Guiné Equatorial

A Guiné Equatorial, oficialmente República da Guiné Equatorial, é um país da África Ocidental dividido em vários territórios descontínuos no Golfo da Guiné: um continental, Mbini (antiga colónia espanhola de Rio Muni), e outros insulares. As ilhas são Bioco (antiga Fernando Pó), no norte do Golfo do Biafra, Ano Bom, a sul de São Tomé e Príncipe, e Corisco, Elobey Grande e Elobey Pequeno (e ilhotas adjacentes) na baía de Corisco, ao largo do Gabão.

A capital do país é a cidade de Malabo, antigamente conhecida como Santa Isabel, mas para o ano de 2020 está prevista a inauguração da Ciudad de la Paz, uma cidade planejada para ser a futura capital.

Além do Gabão e São Tomé e Príncipe, a Guiné Equatorial tem fronteiras com os Camarões e com a Nigéria. O país tem o maior produto interno bruto per capita do continente africano, embora seja um país de médio índice de desenvolvimento humano (0,556).[6]

Desde meados dos anos 1990, a Guiné Equatorial tornou-se um dos maiores produtores de petróleo do sub-Saara. Com uma população de 798 807 habitantes, é o país com o maior produto interno bruto per capita do continente Africano, e o 69º do mundo. No entanto, a riqueza é distribuída de forma muito desigual e poucas pessoas foram beneficiadas com as riquezas do petróleo. O país ocupa a 144ª posição em 2014 do Índice de Desenvolvimento Humano da Organização das Nações Unidas. A ONU diz que menos de metade da população tem acesso à água potável e que 20% das crianças morrem antes de completar cinco anos.

O regime autoritário no poder na Guiné Equatorial tem um dos piores registos de direitos humanos no mundo, e consegue se manter como o "pior do pior" no ranking da pesquisa anual da Freedom House de direitos políticos e civis. Repórteres classificam o presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo um dos "predadores" da liberdade de imprensa.[7] O tráfico de pessoas é um problema significativo, de acordo com o "US Trafficking in Persons Report", de 2012, que afirma que "a Guiné Equatorial é uma fonte e destino para mulheres e crianças vítimas de trabalho forçado e tráfico de sexo."

No dia 23 de Julho de 2014, a Guiné Equatorial entrou na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e em 2017 as Nações Unidas deixou de designar o país como subdesenvolvido e o elevou ao status de país em desenvolvimento.[8]

 

NOSSOS VISITANTES MUNDIAIS

 

Generated button

 

 

NÃO PERCA ESSA CHANCE COMPRE AQUI O CURSO

Ganhe dinheiro na internet clique aqui e comece a ganhar - Portal do Lincon